TAPIOCA
Matueté Blog
18 de setembro de 2013 0

:: (a) Brasil | Dica do Viajante | Insider | Matueté em Campo | Natureza

De todas as viagens que a Matueté organiza pelo Brasil, uma das minhas preferidas é nosso roteiro pelo Rio Tapajós . Foi a terceira vez que levei minha mulher e dois filhos, junto com duas outras famílias, para passar uma semana navegando nessa região que considero a mais bonita de toda a Amazônia. Várias coisas tornam essa viagem muito especial; para começar, não tem mosquito (muito menos do que em qualquer parte do litoral) e as praias têm águas cristalinas e areias muito, muito brancas. E o melhor: é possível nadar quase o tempo inteiro sem medo! Além do mais, praticamente não se encontra outros turistas, então a gente fica com aquela sensação de ter uma praia linda todo o dia só para nossa família. E, diferente dos barcos que navegam no mar, lá o barco não balança, então a viagem funciona mesmo para aqueles que normalmente ficam ‘mareados’ a bordo.

Navegamos por 3 ecossistemas diferentes. O Rio Arapiuns tem águas escuras mas muito transparentes, e visitamos algumas comunidades super bacanas e que são exemplos da chamada ‘economia da floresta’ – produzem artesanato, mel e criam peixes para ajudar a manter a floresta em pé. Na comunidade de Anã, tivemos a sorte de estar lá enquanto acontecia o campeonato anual de times de futebol da região.  Os meninos adoraram assistir ao torneio!

Navegamos também pelas águas barrentas do Amazonas, onde ali sim, não se deve nadar! Mas pescamos piranhas e vimos muitos, muitos pássaros e botos. E, finalmente, chegamos às águas azuis e cristalinas do Tapajós, onde fizemos uma trilha sensacional até o coração da floresta primária para encontrar as icônicas árvores gigantes da região.

A rotina deste tipo de viagem é deliciosa! O dia começava com um incrível café da manhã preparado pela Dona Socorro, a exímia cozinheira do nosso barco. Fazíamos um passeio de manhã, outro à tarde e durante o almoço, quando ficava bem quente, o barco geralmente navegava para o próximo ponto da viagem. Mas o que as crianças realmente amavam era quando o barco atracava à tarde em alguma beira de rio, e a viagem se transformava em “férias de praia”: tomar sol, água de coco, caipirinhas e aperitivos antes dos incríveis pores do sol! As crianças se divertiam pulando na água do último andar do barco, pescando peixinhos e sendo puxadas em uma boia por uma lancha. E, a noite, aquele céu absurdamente estrelado deixava todos em êxtase…

No último dia, todos ficaram um pouco comovidos com a gentileza da tripulação e com a certeza de terem feito uma das melhores viagens da vida!

É possível aproveitar tudo isso praticamente o ano inteiro, mas a região é especialmente linda entre os meses de setembro e novembro, quando chove menos e as praias estão em seu esplendor máximo.

Qualquer informação a mais, consulte-nos!

Posted by